English     Español

Corpo Docente

Marise Ramos - Docente                        
Email: ramosmn@gmail.com



Pesquisa Atual
1) Saberes, competências e cultura profissionais dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS): o processo de reconstrução do conhecimento na escola e no trabalho
O projeto tem como objetivo captar mediações sobre a história, as contradições, os desafios e as possibilidades da educação de trabalhadores da saúde em nosso país, mediante o confronto das concepções e práticas das Escolas Técnicas do SUS (ET-SUS) com os processos de mobilização e reconstrução dos saberes que os formandos dessas instituições colocam em jogo no efetivo exercício do trabalho em saúde, considerando-se a cultura profissional das escolas e dos ambientes de trabalho. Nesse sentido, a pesquisa propõe-se a responder as seguintes questões: 1) As ET-SUS reconstroem as orientações oficiais, afirmando sua própria identidade? 2) Que confrontos, conflitos e contradições impulsionam e/ou resultam desse processo? 3) Até que ponto uma possível diversidade se unifica sob uma concepção hegemônica político-pedagógica e ético-política? 3) Com que sentido o conhecimento é efetivamente trabalhado nessas instituições e qual o seu significado para os estudantes-trabalhadores da saúde nas situações concretas de trabalho? 4) Como os estudantes-trabalhadores combinam seus saberes tácitos com os saberes formais, reconstruindo-os no enfrentamento das situações concretas de trabalho? 5) Poder-se-ia depreender uma vinculação entre a mobilização dos saberes dos trabalhadores no seu processo de trabalho e as experiências educacionais? Como uma investigação que busca compreender as mediações históricas e sociais da relação trabalho e educação, este projeto parte de uma problemática da Educação, mas busca também na Economia, na Sociologia do Trabalho e, em menor grau, na Psicologia, alguns aportes para uma compreensão do problema da educação profissional como política pública e dos saberes, competências e cultura profissionais como mediações da formação humana. Trata-se, portanto, de uma investigação guiada pela unidade entre teoria e prática, de modo que a apreensão das contradições manifestadas no plano do empírico desafie a teoria já elaborada. Financiador: CNPQ.

2) A inflexão das agências internacionais sobre a formação de trabalhadores de saúde: um estudo de caso sobre a Organização Mundial de Saúde
A atuação das agências internacionais no campo da saúde tem influenciado a organização de sistemas e políticas de saúde em todo o mundo desde a década de 1980. Entre as agências internacionais que mais se destacam nesta área estão a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Banco Mundial. Diversas temáticas do campo da saúde têm sido desenvolvidas por essas agências que através de documentos, relatórios e cooperações internacionais propõem recomendações sobre modelos de atenção à saúde, políticas de financiamento, organização de sistemas de saúde, entre outros. Entre essas diversas temáticas, a formação de trabalhadores tem recebido um destaque político relevante nos últimos anos, havendo um incremento de cooperações internacionais envolvendo a qualificação e formação da força de trabalho entre países pobres e em desenvolvimento e esses organismos. No ano de 2006, a OMS publicou o seu relatório mundial da saúde sobre o tema recursos humanos. Neste relatório, a agência especializada das Nações Unidas faz um levantamento da força de trabalho no mundo, a identificação dos principais problemas e desafios, e também aponta recomendações para a gestão e formação de trabalhadores para a saúde. Neste sentido, esta pesquisa tem o objetivo de investigar as políticas de formação de trabalhadores de saúde propostas pelas agências internacionais, tomando como estudo de caso a OMS. A partir de uma perspectiva crítica e construcionista pretende-se realizar uma pesquisa documental e bibliográfica, identificando as relações entre processos de globalização e saúde, tomando como foco a política de formação profissional em saúde da OMS durante o período de 2003 a 2006. Espera-se identificar e analisar as concepções de trabalho, educação e saúde presentes nos documentos e políticas preconizadas pela OMS. Financiadores: CNPQ, FIOCRUZ, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, UERJ.

Principais publicações


Orientados - Mestrado
Titulados(as):

JUAREZ DE ANDRADE

MAURO DE LIMA GOMES

IEDA DA COSTA BARBOSA

MARIA INEZ BERNARDES DO AMARAL

MICHELLE PINTO PARANHOS

RAFAEL BASTOS COSTA DE OLIVEIRA

ANA PAULA DA GRAÇA SOUZA BLENGINI

ANA CRISTINA LOURENÇO VARGAS

THIAGO BARRETO MACIEL

CARLOS THIAGO GOMES SAMPAIO

JONAS EMANUEL PINTO MAGALHÃES

PAULO CÉSAR DE CASTRO RIBEIRO

RAQUEL TRINDADE ANDRADE

DOUGLAS EDUARDO DA C. DIÓGENES

ROSANE DE ABREU FARIAS

Em Andamento:



Orientados - Doutorado

Titulados(as):

SILVIO CLAUDIO SOUZA

CARLOS SOARES BARBOSA

MARIA ÉLIDA MACHADO

MANOEL JOSÉ PORTO JÚNIOR

RAQUEL BARBOSA MORATORI

LEDA APARECIDA V. NABUCO DE GOUVÊA

FLAVIA DE FIGUEIREDO DE LAMARE

RAFAEL BASTOS COSTA DE OLIVEIRA

LUÍS CARLOS FERREIRA

MARIANA LIMA NOGUEIRA

JOÃO BATISTA PEREIRA ALVES

ROSEMARY LOPES SOARES DA SILVA

Em Andamento:

MÁRCIA VALÉRIA G. CARDOSO MOROSINI

ENAIDE TEREZA REMPEL

GREGORIO GALVÃO DE ALBUQUERQUE

JONAS EMANUEL PINTO MAGALHÃES

MARIA INEZ BERNARDES DO AMARAL

ROSANE DE ABREU FARIAS